A polêmica sobre A Guerra dos Tronos no Brasil

Para os amantes da fantasia, já tem algum tempo que notícias sobre a adaptação da saga A Guerra dos Tronos de George R.R. Martin estão causando alguma agitação. Não é por acaso: o canal de tv responsável por passar os livros para a telinha é a HBO, famosa pela altíssima qualidade do que faz. E o elenco tem um velho conhecido das adaptações de fantasia, Sean “Boromir” Bean como Eddard Stark.

Junto com o anúncio da adaptação, mais boas notícias ainda na metade desse ano, quando no começo do mês a editora Leya anunciou que publicaria a tradução do primeiro livro (chegando por aqui como As Crônicas de Gelo e Fogo) e divulgou uma capa belíssima, para fã nenhum botar defeito (é a que ilustra esse artigo, para vê-la em tamanho ampliado, basta clicar sobre ela).

Aqui cabe ressaltar a importância de publicações de traduções como essa. A Guerra dos Tronos foi publicado lá fora em 1996. São quase 15 anos desde que saiu o primeiro livro, e é evidente que ele ganhou um espaço entre aqueles que gostam do gênero (os mesmos que se deliciaram com os livros de J.R.R. Tolkien, por exemplo). O problema é que uma vez que traduções não estavam disponíveis aqui no Brasil, o leitor teria que recorrer à versão lusitana do texto caso não conseguisse ler no original.

O saldo é negativo para todo mundo. Quem já conhece os livros e gosta, não tem muito com quem conversar, porque sem uma tradução o acesso à obra é extremamente restrito. E é por isso que a notícia da publicação da Leya é tã0 bem-vinda inclusive para quem já leu (o que é o meu caso).

O balde de água fria veio quando o Omelete divulgou o primeiro capítulo da dita tradução. O que se descobriu então é que a Leya resolveu não traduzir direto do inglês, mas adaptar a tradução do português europeu feita por Jorge Candeias. O resultado disso é comentado pelo próprio Jorge em seu blog, em post publicado no último dia 25.

O problema de uma tradução ruim (e talvez aqui seja bom deixar claro, não é a tradução de Jorge que está sendo criticada, mas a ideia de adaptá-la para o português brasileiro) é que o leitor que tiver o primeiro contato com a obra através dessa poderá não gostar do texto, seja por estranhá-lo, seja por simplesmente achar que “não é bem escrito”, quando não é o caso.

A Ana do Leitura Escrita comenta um pouco mais o caso, inclusive fazendo um trabalho de comparação como o que o Jorge Candeias fez. Já a Lidiany do Game of Thrones publicou os comentários da editora Leya no twitter sobre o assunto. É dito algo sobre reavaliar o trabalho realizado, o que seria ótimo se realmente acontecesse. Não só para os possíveis novos leitores da saga, mas para a própria Leya que não ficará com a imagem arranhada por um trabalho mal feito, justamente com um título que tem tudo para ser um dos mais lidos nos próximos anos.

COMENTE ESSE ARTIGO NO FÓRUM MEIA PALAVRA

Advertisements

24 thoughts on “A polêmica sobre A Guerra dos Tronos no Brasil

  1. George RR Martin sempre foi um dos autores que tive curiosidade para ler (mas nunca calhou de topar algum livro dele aqui no Brasil). Lerei a edição nacional de qualquer maneira, saber essa questão da tradução já me deixará precavido.

    Existem algumas traduções mal feitas que se tornam até “gostosas” de serem lidas. Possuo uma versão de Volta ao mundo em 80 dias, que tem a tradução do nome das cidades que é sensacional como “A Cidade do Lago Salgado” (Saltlake City).

  2. Que coisa chata.

    Algumas editoras acham que basta o texto estar em português que as pessoas ficarão satisfeitas. Até a Companhia das Letras cometeu esse deslize com um título de ponta.

    É preciso mostrar a indignação aos responsáveis. Vou mandar um e-mail. Se o livro for lançado assim, não comprarei a versão nacional.

  3. Pois é, eu desisti de comprar o livro, mas vou acabar ganhando ele.
    De qualquer forma, como disse no blog tinha comprado dois e cancelei.

    Estou aguardando o meu pra postar em mais detalhes sobre o problema da tradução.
    A obra em inglês é belíssima e me desagrada muito que fique marcada por esse deslize na tradução.
    O pior é que parece que o próximo volume também virá de Portugal e nós como ficamos?
    =/

  4. Ah sim, sobre a capa. Eu postei sobre a capa ser igual a francesa por que algumas pessoas estavam dizendo que as capas brasileiras sempre são melhores, como se essa fosse exclusiva rsrssr
    Ótimo texto o seu!

  5. Estou apenas aguardando uma review de vcs para pedir a minha cópia… mas pelo que parece vou ter que obter uma versão em inglês mesmo… o duro é o frete, além de quando o fiscal da receita esquece que livros não pagam impostos de importação…

  6. Eu ganhei o livro.
    Pego minha cópia esse fim de semana.
    Vou dar uma olhada no livro e publico meus comentários oficiais sobre a tradução.

    @Diego em inglês é bem baratinho, na livraria cultura eu acho que tem, sai mais caro que no Amazon eu creio, mas é mais rápido…
    Se vc puder ler em inglês, esse é meu conselho!

    @R. Moss já mandei diversos emails e não teve nada, simplesmente cancelei minha compra, agora vou ganhar o livro e vou avaliar, vamos ver se no próximo eles tomam vergonha, né?
    😛

  7. Olá, eu comprei e li a edição públicada pela Leya, realmente estranhei bastante a leitura. Mas a história é encantadora, se conseguir vencer os três primeiros capítulos não dá pra largar o livro! Nos acostumamos com quase tudo, rs.
    Infelizmente meu Inglês ainda não é o suficiente para ler a versão original, e tive que me contentar com essa tradução digamos “estranha” mesmo.
    Vamos torcer pro segundo volume da série vir com melhor qualidade.

  8. Olha só, estou lendo o livro nesse momento e sinceramente não entendo essa “polêmica” sobre a tradução.

    O texto não está difícil nem existem expressões lusitanas ou coisas assim.

    Deixemos de procurar chifre em cabeça de cavalo e tratemos de aproveitar essa que é uma obra que está me cativando a cada página.

    Sim, sou mais uma “vítima” das “Crônicas de Fogo e Gelo”. Ainda bem.

  9. Comprei o livro à três semanas,percebi sim que tinha algo meio estranho na tradução, a linguagem soava um pouco diferente mesmo. Mas isso acaba virando mero detalhe, porque o livro é muito bom,a cada capitulo que você lê,desperta mais e mais a curiosidade de saber como essa saga vai terminar também não vejo a hora de estrear na HBO. eu gostaria que as editoras olhassem com mais carinho e respeito quando resolver trazer obras como estas, que merecia uma atenção especial,larguem de preguiça,ninguém é bobo traduzam para o nosso português merecemos respeito.

  10. comprei e estou na metade do livro…
    nao percebi nada de estranho nesse livro…
    se nao tivessem falado q a tradução foi feito desse jeito..ninguem ia falar nada…

    bem… deixar de ler a versao brasileira por este detalhe..com certeza é coisa de fresco.

  11. Concordo plenamente com a Cíntia, os 3 primeiros capítulos são meio complicados de se ler, mas o resto do livro compensa; A história é muito boa e imprevisivel.

  12. Olá, Anica. Terminei de ler este livro hoje. Foi uma leitura de fôlego, sabe… Para ser sincero, não tenho muitas críticas ao texto. Achei a tradução ruim mesmo. Encontrei alguns erros – Portão dos Filhos/Portão das Crianças – e coisas do gênero.
    Agora, sobre as escolhas do autor acho que o livro não precisava ser tão extenso. Quero dizer… em alguns pontos a página acabava junto com um determinado acontecimento. Tinha certeza de que o capítulo iria terminar ali. Então eu virava a página e havia mais umas duas ou três páginas de coisas desnecessárias.
    Outros momentos, quando a narrativa era sobre Catelyn… eu ficava um pouco entediado.
    Dá pra ver que é uma escrita apaixonada. George Martin mergulha em seu mundo ficcional, que é delicioso. Seus personagens são carismáticos e profundos (bem, uns nem tanto) e eu realmente fiquei o livro todo envolto na espectativa por causa dos seres que surgem logo no prólogo.
    Juntando tudo, foi uma leitura selvagem, abrasadora. Não queria parar e que me desequilibrou. Não peço menos de um bom livro.

  13. A LidianyCS deu uma ótima notícia. Pelo “visto” por ela, o segundo volume está OK.
    Pra mim é uma ótima notícia, já que comprei ontem os 2 primeiros volumes por R$35 cada no site da Saraiva.
    Antes de comprar, eu lí muito sobre essa polêmica da tradução. Ví o que o tradutor português disse a respeito de algumas frases que tiveram seu sentido mudado. Mas como são coisas que não alteram totalmente o entendimento da história em geral, comprei assim mesmo.
    Como já estou familiarizado com textos em pt-pt, já que leio Saramago frequentemente, acho que não terei grandes dificuldades para entender esse texto “meio pt-pt meio pt-br”.
    Com relação a Editora Leya, as reclamações são perfeitamente justificadas, já que fizeram uma adaptação da tradução portuguesa do livro.
    Espero que os próximos volumes estejão 100% pt-br.
    LidianyCS você já terminou de ler o segundo volume? Mantém a opinião de que está OK?

  14. A “tradução da tradução” não é das piores (apesar do “little girl” e “little man” traduzidos como “pequena menina” e “pequeno homem”). Agora, lá pelas tantas desvirtuam uma frase capital de Tyrion, quando ele diz para Jon Snow: “Never forget what you are. The rest of the world will not.” Candeias me traduz isso como: “Nunca se esqueça de quem é., porque é certo que o mundo não se lembrará.” Eu bem que queria comprar a edição original no site gringo da HBO… mas eles não vendem para fora dos USA (otários :).

      1. Ô Anica, eu queria comprar pela HBO porque (pela primeira vez na minha vida de “downloader”) achei que devia colaborar de alguma forma com o (alto) custo de produção da série. Queria comprar camisetas, chaveirinhos, etc etc. Mas a HBO não vende para fora dos USA, no way…

        Assim sendo, fiz o mais fácil e mais rápido: entrei no site do Submarino e pedi a edição em português mesmo 🙂

        Mas a ideia de bancar de alguma forma alguma série de TV continuou. Foi aí que eu descobri “Pioneer One”: doei dez doletas para os caras. Hoje eu vi o terceiro episódio e estou bastante satisfeito com o investimento. Quem quiser conhecer mais do projeto:

        http://www.seriemaniacos.com.br/blog/primeiras-impressoes-pioneer-one/

  15. Acabei de ler o livro e já estou faminto pelo livro dois, também acho que os problemas da tradução vão sendo vencidos durante a leitura. Este livro realmente prende o leitor e nos faz viajar na era medieval.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s