A felicidade é fácil (Edney Silvestre)

Com o perdão do trocadilho, voltar depois de um grande sucesso de estreia não é fácil. Acontece no cinema, na música e é óbvio que a literatura não escapa disso. A sensação que dá é que algumas pessoas ficam até na torcida negativa, esperando que seja só mais “one hit wonder”, que logo será esquecido. É com esse histórico de comportamento dos leitores que chegou recentemente às livrarias A felicidade é fácil, novo livro de Edney Silvestre, o primeiro após o grande sucesso Se eu fechar meus olhos agora.

O livro vem para não deixar dúvidas sobre a coleção de elogios que o autor conquistou: é simplesmente viciante. O ritmo é frenético, não há tempo para divagações desnecessárias, é tudo muito direto ao ponto. Ao leitor cabe deixar-se levar nessa montanha russa de sentimentos e pensamentos, que Edney Silvestre alinhava tão bem. A atenção é conquistada (e mantida) página após página, rendendo o famoso momento do “Só vou ler mais um capítulo e depois eu vou dormir” (para quem já fez isso tenho certeza que compreenderá).

A história se passa na década de 90, focando a família de um rico publicitário envolvido em maracutaias do governo. Um grupo de sequestradores leva o filho dos empregados pensando que estavam levando o filho do publicitário. Está armado o cenário para tecer uma dura crítica ao egoísmo cada vez mais comum (ou melhor, evidente) entre as pessoas. Cada um se fecha em seu próprio mundo, carregando seus próprios dramas sem saber reconhecer as dificuldades que o outro enfrenta – algo que é mostrado repetidas vezes justamente com a frase que dá nome ao livro, “a felicidade é fácil”. Cada qual julga viver uma história mais difícil que outrem, vendo felicidade onde não há.

O mergulho que Edney Silvestre faz nos sentimentos de sua personagem é algo impressionante, especialmente no caso de Mara, a esposa do publicitário – peça por peça ele constrói uma mulher que teria tudo para ser julgada, mas acaba sendo admirada. O filho dos caseiros é outra personagem interessantíssima. Pouco se sabe dele, além de que é surdo e mudo, e louro, como esperavam que o filho de Mara e Olavo fosse. Mas no seu silêncio ele conquista o leitor, o que é fundamental justamente para manter funcionando a engrenagem principal da história, o sequestro. Confesso que devorei as páginas mais rápido do que de costume porque precisava saber o que aconteceria com o garoto.

Um pouco deslocada na linha narrativa na minha opinião é a filha do motorista que dirigia o carro no momento do sequestro. De certa forma parece que a personagem não consegue mostrar bem a razão de estar ali no meio daquela história, ou de ganhar tanto espaço na trama. Mas não é algo que afete de fato A felicidade é fácil, até porque Edney Silvestre conduz muito bem as demais personagens – mesmo quando são tipos como no caso de Ernesto, que está envolvido nos casos de corrupção com Olavo.

Além desse cuidado, é também digno de destaque o trabalho do autor sobre a reconstituição do Brasil da década de 90, que sempre parece tão próximo dos dias de hoje que só quando lemos um livro assim nos damos conta de quão distante está. No recorte de Edney Silvestre temos a era Collor no campo da política, temos modelos de carro que já nem circulam mais por aí. Trechos de músicas tocando em rádios, num momento em que o inglês ainda era um diferencial e não algo tão comum. O leitor é transportado para aquele período, mesclando memória pessoal com a memória do autor, chegando em uma combinação que forma um retrato fantástico da época.

É realmente uma obra que vale a pena. O leitor que começar com algumas poucas páginas logo será tragado por esse universo criado por Edney Silvestre, e provavelmente ficará com um gosto de quero mais ao acabar o livro. No final das contas, é uma ótima resposta para qualquer um que estava pensando que o autor emplacaria apenas Se eu fechar meus olhos agora, é realmente muito bom. Edney Silvestre chegou para ficar.

A felicidade é fácil
Edney Silvestre
224 Páginas
Preço sugerido: R$29,90

Saiba mais sobre essa e outras obras no site do Grupo Editorial Record

Advertisements

4 thoughts on “A felicidade é fácil (Edney Silvestre)

  1. Anica, adoro todas as suas resenhas, você consegue sempre ver alguma coisa que poderia ser melhor no livro, não deixa cegar-se por nenhum nome de autor algum. Não li o “Se eu fechar meus olhos agora.” mas tenho curiosidade, agora com esse novo, com certeza comprarei os dois juntos. Terei algumas horas de ótimas leituras.

    Muito obrigado pela resenha! 😉

  2. Oi Anica,

    Não perco uma resenha sua. Acho que você escreve muito bem, e sempre que sigo suas dicas não me arrependo.
    Eu li o “Se eu fechar os olhos agora” e adorei. Aconteceu isso que você disse: “Só vou ler mais um capítulo e depois eu vou dormir”… com isso acabei em três dias!
    Quando vi esse lançamento fiquei indecisa.
    Agora, com a sua dica, vou correndo comprar e ler…
    Obrigada!!!!!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s