O apanhador no campo de centeio- J. D. Salinger

apanhador_centeioFoi anunciado ontem o falecimento do escritor J. D. Salinger, conhecido mundialmente pela obra O apanhador no campo de centeio. Famoso por ser uma pessoa reclusa, nos últimos tempos seu nome aparecera nos jornais apenas por conta de um processo que movera contra um escritor sueco que escreveu uma continuação para O apanhador no campo de centeio chamada 60 Years Later: Coming through the Rye.

Essa sequência não autorizada é só mais um dos indicativos da importância e influência do romance de Salinger mesmo há mais de 50 anos de sua publicação. E não é à toa: de modo extraordinariamente simples, o escritor conseguiu escrever sobre uma das fases mais contraditórias da vida das pessoas, a passagem da adolescência para o mundo adulto.

Com legiões de fãs, seguidores e imitadores do protagonista Holden Caufield, é muito comum encontrar pessoas que se frustraram com a leitura de O apanhador no campo de centeio. O problema é que são sempre tantos elogios à obra que costuma-se esperar um enredo inovador, algo que choque, etc. Mas não é o que acontece. Na realidade, pouco acontece em O apanhador no campo de centeio.

O livro começa com Holden sendo expulso da escola e então voltando para casa alguns dias mais cedo. A história em si é esse retorno. E é isso que acaba desagradando o leitor desavisado, que  talvez esteja prestando atenção apenas no plot, ou esperando grandes filosofias (óbvias), que jamais aparecerão.
E é realmente uma pena que isso aconteça, porque ao focar no ponto certo, O apanhador no campo de centeio é realmente uma obra encantadora. O modo como Holden vai apresentando as personagens que fazem parte de sua vida, uma galeria de pequenos recortes com características únicas (como Jane que nunca mexia nas damas quando jogava, ou o irmão com a luva de beisebol cheia de poesias).

Interessante também é observar a relação dele com os adultos que encontra no meio do caminho de volta para casa. A ideia sutil de que ele está terminando uma fase da vida e chegando em outra está ali, quando sem qualquer pretensão de passar grandes ensinamentos Salinger coloca Holden observando e refletindo sobre pessoas como o professor Antolini.

As marcas de oralidade do narrador garantem uma sensação de ouvir um amigo contando alguma história, na qual você em alguns momentos se reconhece até pela simplicidade dos fatos. É o tipo de livro que merece uma leitura mais cuidadosa, refletida.

A gente nunca devia contar nada a ninguém. Mal acaba de contar, a gente começa a sentir saudade de todo mundo (J.D. Salinger, 1919-2010).

DISCUTA O POST NO FÓRUM DO MEIA PALAVRA

Advertisements

3 thoughts on “O apanhador no campo de centeio- J. D. Salinger

  1. Olá pessoal, gostei muito do comentário. O interessante no livro é justamente o que foi colocado; o modo como Holden vai apresentando as pessoas que encontra nessa volta para casa, descrevendo seus aspéctos e atitudes. Mostrando também alguns dos principais dilemas existencias que permeiam seu pensamento juvenil. O livro é bastante interessante, vale a pena conferir sim.

  2. Pelo pouco que vi tô muito curiosa para ler todo o livro, acgei muito interessante sem contar que achei o livro perfeito para ler com minha turma de adolescentes..

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s